Projeto RAGIO

Página Inicial

Atualizado em 05/02/2017

Desafios

  1. Desafios

    Listamos abaixo etapas e tarefas, por ordem de prioridade, não de dificuldade

    Quem quiser colaborar pode assumir uma destas tarefas, ou sugerir outra, que contribua para o melhoramento do projeto.

    Alguns requerem conhecimento de programação, outros de eletrônica.

    Outros ainda requerem apenas bom senso e organização.

    Na maioria delas, acesso à Internet é necessário, mas nem todas !

    Nas tarefas que exigirem componentes eletrônicos, ou outras peças, elas serão fornecidas por mim, e enviadas para o colaborador.

    Caso alguém prefira adquirir diretamente peças de baixo valor, eu me comprometo a efetuar os reembolsos, via transferência bancária.

    Infra-estrutura

    1. Definir o diagrama de blocos do sistema
    2. Fazer o levantamento da pinagem das placas shield, displays e octopus que serão utilizadas no projeto
    3. De posse do levantamento acima, normatizar o uso das mesmas, para que, por exemplo, todos os displays usem os mesmos pinos, todas as placas seriais também, etc.
    4. Verificar se as bibliotecas utilizadas pelos módulos estão atualizadas, e se são compatíveis, podendo operar simultaneamente.
    5. Revisar listagem de Entradas e Saídas das placas
    6. Revisar a definição dos nomes das variáveis, e seus tipos

    Hardware

    1. Analisar e complementar a descrição das placas e sua operação.
    2. Detalhar os sinais de entrada, saída e alimentação de cada uma das placas.
    3. Detalhar o circuito de cada placa, e fazer uma lista de componentes
    4. Montar os circuitos em Protoboard, e testá-los
    5. Desenhar a placa de circuito impresso, preferencialmente de face simples.
    6. Desenvolver fornecedores para confeccionar as placas
    7. Montar as placas, e testá-las.

    Software / Programação

    1. Definir as sub-rotinas e fazer um fluxograma de operação de cada placa e sistema
    2. Desenvolver código de cada uma das placas, e suas sub-rotinas
    3. Desenvolver programas de teste das placas.
    4. Projetar a rede que interligará os Arduinos, entre si e ao mundo exterior.
    5. Desenvolver os programas de relatórios
    6. Desenvolver rotinas de coleta, intercâmbio e gravação de dados.
    7. Desenvolver a parte de Telas
    8. Desenvolver a parte de Gráficos, e MRTG
    9. Desenvolver um servidor para transmitir os dados para a WEB
    10. Desenvolver a parte de Alarmes. Um alarme, segundo a ISA 18.2, é um sinal audível e/ou visível indicativo do mau funcionamento de um equipamento ou processo ou condição anormal que requer uma resposta, logo então, gerenciar alarmes é o processo de projetar, implantar, monitorar e aprimorar os alarmes, a fim de garantir operações seguras e confiáveis.

    Escopo de trabalho :

    Para os que quiserem fornecer profissionalmente os módulos, aqui está o que devem cotar :

    1. Cotar o desenvolvimento do Subsistema, por etapas.

    2. Informar previsão de prazos de entrega, por etapa.

    Primeira etapa

    Desenvolvimento do esquema, programação e montagem do protótipo - Montar e testar o esquema num protoboard com o Fritzing. Ele é gratuito e bastante fácil de usar

    Segunda etapa

    Desenhar as placas Simples e/ou Sanduíche com os componentes ativos, passivos, conectores, pinos, bornes e demais componentes.

    A placa tipo Sanduíche deve ter conectores machos de um lado, e fêmea de outro (placa sanduíche), como na imagem abaixo, pois ele ficará no meio do UNO e do Shield com o Display.

    Placas Simples

    Conceito :

    Placas Simples, que normalmente  servem para interface, precisam usar bornes de parafuso, pois trabalham com tensão ou correntes elevadas.

    Normalmente, elas usam LEDS para sinalizar o estado das Entradas e Saídas, e usam conector Ribbon para se conectar às placas lógicas, ou "sanduíche".

    Placas Sanduíche / Shield / RS-485

    Conceito :
     

    Conceito Placa Sanduíche

         Cabo Ribbon         Conector Ribbon

    As placas "sanduíche"  são assim denominadas por serem o "recheio" do sanduíche, localizadas que estão entre a placa do Arduino e a placa do Display.

    Elas possuem conectores macho de um lado, e fêmea de outro, posicionadas de tal forma que as placas possam ser empilhadas.

    Elas tem furação de fixação idênticas às dos Arduinos, permitindo o uso de distanciadores e parafusos, formando um bloco único.

    Algumas tem o tamanho da placa do Arduino UNO, outras do Mega. Outras ainda, o tamanho do Display Big Number

    Servem mais para interligar as placas dos Arduinos (padrão) com os cabos de entrada e saída, com a alimentação, funcionam como um shield para o display, etc.

    Por exemplo, cada sensor de temperatura, e Hall usa conectores com 4 pinos : positivo, negativo, saída e não conectado.

    Esses conectores, individuais, entram na placa de Entradas e Saídas (Interface).

    Dessa placa, os dados chegam à placa sanduíche Computador de Bordo por um cabo ribbon, nela são "desemaranhados" e encaminhados por ela aos pinos corretos do Arduino MEGA.

    Cada Arduino tem sua placa sanduíche específica: Placa de Controle de Carregadores, Placa de Controle de Baterias, Gráfico e Computador de Bordo

    Elas quase não tem elementos ativos, exceto os necessários à interface de comunicação RS 485

    Terceira etapa

    Fornecer a placa shield montada e testada.

    Forneceremos os displays e os Arduinos, demais componentes por conta do desenvolvedor.

     

    Dúvidas ?

    Contate Horacio Belfort

    belforts@bycable.com.br

    13 98100-7777 WhatsApp

     

Licença Creative Commons

O Projeto RAGIO oferece compartilhamento de informações de acordo com a Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em
www.ragio.com.br